Cultura Humor

Papel de trouxa

segunda-feira, março 14, 2016Roberth Moura



Em uma sociedade onde os relacionamentos amorosos acontecem cada vez mais através de sites de relacionamento e aplicativos de celular, o amor torna-se cada vez mais líquido, e as grandes paixões tendem a se tornar cada vez mais efêmeras. Apesar de estar ciente disto, o meu coração deixou-se ludibriar várias vezes com as promessas de amor eterno declaradas nas entrelinhas das descrições presentes nos perfis das pessoas pelas quais eu me interessava. 

Se inconscientemente fiz uma ou outra pessoa de trouxa, a vida fez com que centenas delas fizessem isso a mim, diariamente, sem dó nem piedade. E parece que é de propósito, pois quem me quer, eu não quero tanto; quem eu quero tanto, pouco me quer; quando quem pouco me quer (de tanto eu me esforçar) passa a tanto me querer, aí eu descurto e perco a vontade de investir. Mas quanto mais a pessoa não me quer, mais eu a quero e mais a vida me dá tapas na cara. Enfim, papel de trouxa foi feito para ser reciclado.

E foi inspirado na minha última grande paixonite de aplicativo que eu compus a letra desta música. Abaixo está o vídeo e a letra. Espero que curtam e até a próxima!




Papel de trouxa
Roberth Moura (letra e música)

Te conheci ontem no aplicativo, foi de Deus eu te encontrar
E hoje loucamente estou te amando, nem consigo explicar
Mas você visualiza minhas mensagens e demora responder
Só penso que você já não me quer, que de mim vai se esquecer

Para o parque eu te convidei e você me disse “não”
Quando para a praia eu te chamei do fundo do coração

Você disse que é tímido e não curte areia
Que não gostava de em público se expor
Então me leve agora pro seu quarto, oh, Breninho
E me ame por favor

Breninho visualizou mensagem e nunca mais respondeu...



You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images

Formulário de contato