Humor Ótica Psicológica

Estudando para a prova (Quem nunca passou por isto, atire a primeira pedra)

quinta-feira, abril 09, 2015Roberth Moura


Em memória aos bons tempo da graduação

Aí a sua professora marca uma prova para semana que vem com 5 capítulos enormes. Você comenta com seu colega “mas ela acha que eu não tenho nada para fazer no fim de semana não?”. Pelos poderes de Grayskull, ela escuta e ainda te pergunta “O que é que você faz de meia-noite às seis, meu filho? Na minha época tinha que estudar era livros e mais livros. Não tinha isso de capitulozinhos não. Vocês só querem moleza e vida mansa”.

Marcos: Mas bem que a senhora podia maneirar um pouquinho, né, fêssora, e deixar pelo menos ser de dupla
Wictóryah: Ou de consulta
“Ou de dupla e de consulta” -  diz a Ritinha, se achando o máximo da inteligência e da esperteza. O estereótipo da perfeição em se tratando de brasilidades (leia mais em Brasilidade, sim,senhor! ).

Aí o estopim da professora estoura. “Nem de dupla, nem de consulta. Que tipo de profissionais vocês querem se tornar?”.  E aí já se vai mais meia hora de sermão sobre aprendizagem, educação, que antigamente não era assim, que o mercado está competitivo e só tem espaço para quem se destaca, etc., etc. etc.

“E se reclamar demais, eu vou adicionar mais três capítulos”.

Não tem mais para onde correr. Você é obrigado a sacrificar suas noitadas regadas a mulheres, viagens, baladas e champanhe.  Champanhe não, por que isso não é bebida de macho (descubra porque em Bebidas que héteros jamais podem beber). Aí você pega sua apostilazinha xerocada e vai estudar. Isso quando não tira foto no celular, para economizar para a cerveja da semana que vem.

(Você lendo, concentrado) “As teorias psicológicas que Freud desenvolveu eram sempre orientadas, tanto quanto possível, no sentido fisiológico. Na verdade, como sabemos por sua correspondência que foi recentemente publicada, ele fez a mais ambiciosa tentativa de formular uma psicologia neurológica nos primórdios de 1890. Foi obrigado a abandonar a tentativa porque os fatos não permitiam uma correlação satisfatória”... (a partir deste momento sua alma começa a flutuar nos mais inimagináveis pensamentos) “Gente! Até Freud abandonava as coisas na metade! E eu achando que ele era um cara tão decidido, tão fálico, tão cheio da verdade! Quem tem a verdade mesmo é só Deus, né? Por isto que eles falam que ele era ateu. E a professora falando de xoxotinha e pipiuzinho na sala de aula. Pouca vergonha dela. Aquilo deve que tem trinta anos que não vê a coisa, por isto que fala demais, pra compensar o vazio existencial. Porque o marido dela é outro que tem cara de que não curte muito. Imagina os dois na cama! Ai, que nojo. Coitadinho do filhinho deles, que deve escutar tudo. Ah... eu queria tanto ter um filho um dia. Eu iria usar com ele tudo que eu estou aprendendo aqui. Ele vai ser uma criança totalmente condicionada. Perfeita. Como é que a vida pode ser tão perfeita, não é mesmo? Transformar um espermatozoide minúsculo e fedorento numa criança linda e perfeita. Mas este mundo é muito carrasco pra eu colocar uma criança pura nele assim. Pensando nisso, por qual motivo nós estamos neste mundo? Fazendo o quê? Qual foi o objetivo de Deus ao criar a raça humana? Quando foi que tudo começou? Ou será que sempre existiu?”.


E por aí vai. Passam pela cabeça: teorias sobre a origem do universo; o outrora e o devir da conspiração dos Iluminatti para dominar o mundo; detalhes da vida sexual do vizinho; planos sobre como gastar os milhões que você vai ganhar na mega sena (isso inclui viagens a Dubai, mansões no Leblon, 30 empregados nas mansões, 5 plásticas no nariz, 8 carros, 3 iates, 1 harém do mister Catra e ações na cacau show, no Subway e na Coca-cola - gordices. Além disso, tem que dar 250 mil para cada pai, 100 mil para cada irmão, 50 mil para cada tio e 10 mil para cada primo. 250 mil para cada pai é muito... Vou dar só 200 mil pra cada. O outro montante eu coloco metade na poupança e metade em um fundo de renda fixa - cujo não tem-se a menor ideia de como funciona). Remotamente pensando, caso não seja sorteado na mega sena desta semana,  faz-se um check list na cabeça das compras do supermercado da semana. Os devaneios delirantes começam a entrar em um nível psicopatológico quando começa-se a pensar coisas do tipo: o que eu estaria fazendo neste momento se fosse um índio na floresta amazônica, ou o filho da Xuxa Meneguel com o Eike Batista, ou casado com a Gretchen, ou o Edir Macedo.  Só aí você percebe que se passaram 48 minutos e você só leu meio parágrafo até o momento. Faltam 4 capítulos + 99% de outro. Sem contar que você deixou para estudar domingo à noite só para ter desculpa para não ir à igreja. Satanás curtiu isso. 
  


No fim, você faz uma “leitura dinâmica” das partes que já vieram grifadas no seu xerox da cópia da apostila emprestada de uma aluna do ano passado e tira mais pontos do que quem leu e releu os capítulos 3 vezes (ou seja, eu).


O mundo é cruel. Beijinho no ombro prorecalque

You Might Also Like

1 comentários

Flickr Images

Formulário de contato