Ótica Psicológica

A triagem psicológica

quarta-feira, setembro 19, 2012Roberth Moura





       Quando se é estudante de psicologia e começa-se a se fazer os tão enriquecedores e não menos desafiadores estágios, estar diante do desconhecido inevitavelmente gera angústia. E maior angústia ainda quando não se sabe o que fazer e, principalmente, como fazer. Foi isso que aconteceu comigo no meu estágio de triagem, iniciado no 5º período de psicologia. 



É claro que somente estudar psicologia clínica não ensina ninguém a ser clínico. Somente se torna clínico quem o pratica. Também é patente que para ser um bom profissional em qualquer área é necessário dominar bem a teoria antes de sair por aí dando pitacos equivocados. Resumindo, prática sem teoria ou teoria sem prática te deixam praticamente no mesmo lugar. Ou seja, lugar nenhum.

A triagem é o passo inicial para o recebimento das pessoas que procuram pelo serviço, o alicerce das próximas intervenções terapêuticas, a porta de entrada dos pacientes ao universo psi, já que geralmente eles não desconhecem o que é um serviço psicológico, justamente por não terem acesso a ele. Na universidade, o objetivo da triagem é fazer esse acolhimento, detectar antecedentes, fazer uma explanação inicial da demanda do sujeito. Nela, verifica-se superficialmente a história de vida do sujeito, a existência de doenças psicológicas na família, etc., buscando traçar o perfil do indivíduo.  É fundamental que o estagiário tenha consciência que sua postura deve ser estritamente profissional. Sua aparência deve ser limpa, sem nada chamativo demais que possa desviar a atenção do paciente.  

Na hora do atendimento, o estagiário deve evitar mostrar seu nervosismo, pois por ser o primeiro isso é natural. Para “quebrar o gelo”, chegue até o cliente, aperte sua mão, dê-lhe bom dia, seja simpático. (evite dizer “oi! Tudo bem?”, porque se ele procura um serviço de psicologia é porque não está tudo bem).  Se for criança, uma brincadeira ou outra é pode ajudar a estabelecer relação de confiança.

Para investigar os conflitos que fizeram o paciente buscar apoio psicológico, perguntas como “Qual é a sua queixa?”, “quais alternativas você buscou para driblar este problema antes de procurar orientação psicológica?”, “você acredita que a terapia pode mudar o seu atual quadro psicológico?”, “o que você espera com a terapia?”, etc., podem ajudar a guiar a entrevista, quando as perguntas não surgirem espontaneamente. Definitivamente, não há um roteiro estruturado a ser seguido. É sempre bom evitar preocupação demais em colher as informações e esquecer-se do acolhimento ao paciente. Caso não se sinta acolhido, é provável que ele nem diga tudo que ele poderia dizer, pois não se sentirá a vontade para isso.

O paciente, ao responder uma pergunta, sempre deixa brechas para inúmeras outras e é por esta via que o estagiário de psicologia vai poder penetrar na subjetividade do indivíduo e trazer à tona o motivo que o fez procurar nossos serviços. Muitas vezes a triagem pode tomar forma de uma intervenção breve, pois mesmo não sendo este seu objetivo primordial, ela proporciona ao paciente uma oportunidade de se tornar responsável pelos seus problemas, logo nos primeiros atendimentos. O simples fato de acolher pode ter um significado de grandiosas proporções para o cliente.

Colhidas todas as informações possíveis dentro do prazo (50~60 minutos), o estagiário escreverá um relatório para discutir juntamente com seu orientador. Se necessário mais uma ou duas entrevistas com o paciente podem fazer-se necessárias, para completar informações não colhidas na entrevista inicial.

Como há uma evasão muito grande de pacientes nos serviços de psicologia oferecidos pela universidades, a triagem psicológica é de imprescindível importância, já que é ela quem vai mobilizar e conscientizar o paciente a continuar buscando pela ajuda nos serviços de psicologia aplicada.

Um artigo na internet que fala tudo isso e muito mais está no blog da Roberta Cristina:


Espero ter ajudado os iniciantes de psicologia que assim como eu penei, também penam para realizar seus atendimentos.

Até a próxima. Abraços!

You Might Also Like

8 comentários

  1. Estou fazendo estágio básico e seu artigo me deixou bem mais tranquila! Obrigada rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rs... Já estou atendendo na psicoterapia. Qualquer coisa que queira conversar, é só me procurar!

      Excluir
    2. Muito bom! Estou comecando meu estágio e irei fazer triagem.

      Excluir
    3. Muito bom! Estou comecando meu estágio e irei fazer triagem.

      Excluir
    4. Adorei a forma simples e objetiva da explicação sobre triagem.

      Excluir
    5. Adorei a forma simples e objetiva da explicação sobre triagem.

      Excluir
  2. Excelente! Vou começar a fazer triagem e me ajudou muito.

    ResponderExcluir
  3. Excelente! Vou começar a fazer triagem e me ajudou muito.

    ResponderExcluir

Flickr Images

Formulário de contato