Cultura Opinião e Atualidades

Ensaio sobre a cegueira à luz da dinâmica de grupos

sexta-feira, junho 22, 2012Roberth Moura

Através do filme “Ensaio sobre a cegueira” pode-se analisar o poder do grupo sobre o indivíduo e suas reações psicológicas numa situação onde as necessidades básicas de sobrevivência não são atendidas. No filme podemos observar comportamentos de indivíduos que são membros de grupo em uma situação de isolamento e dessa forma tentar entender se há diferença no comportamento de um indivíduo quando isolado e quando em grupo.

Ensaio sobre a cegueira

Para a análise foram utilizadas algumas cenas do filme onde podemos observar as reações dos indivíduos e contextualizá-las com a dinâmica dos grupos. Seguem pontuadas abaixo algumas considerações importantes sobre a análise do comportamento dos grupos:

Ø  Inicialmente, cada um leva a sua vida “normalmente”. Quando algo em comum (a cegueira) os une, eles consciente ou inconscientemente percebem que precisam aprender a conviver em grupo para poder sobreviver, e para que isso ocorra de forma mais segura, o grupo precisa estar organizado e estabelecer bases estáveis. Isso é se identificar como igual ao outro;
Ø  A sociedade tem a tendência de isolar grupos desconhecidos. Isso pode acontecer por medo ou por insegurança, medo do diferente, até que ele se torne conhecido;
Ø  Quando há discordâncias (brigas) no grupo, ele tende a se dissolver;
Ø  O grupo tem a necessidade de um líder. Mesmo que não seja declaradamente falado, sempre há alguém que possui maior influência (um poder de coerção maior);
Ø  Destaca-se em um grupo quem tem uma habilidade útil e notável que o diferencia dos demais (no caso do filme, a mulher que enxerga). “Naturalmente” essa pessoa vai conquistando o seu espaço de destaque.
Ø  Como Karl Marx já dizia, o homem é aquilo que ele faz, aquilo que você produz. No grupo, as pessoas se identificam por aquilo que elas fazem (tem a profissão como identidade): médico, advogado, empresário, etc. Cada um podendo trazer sua contribuição baseado no conhecimento de determinada área que possui.
Ø  O grupo sente que é preciso se organizar e dividir as tarefas, caso contrário todos irão padecer de fome e de sujeira. Organizados eles são mais fortes, em todos os aspectos;
Ø  A perda de uma habilidade (enxergar) pode fazer você aguçar outras (como ouvir melhor, sentir melhor os cheiros), inclusive aquelas que não são necessariamente os sentidos (como na cena do rapaz que diz que é esperto e que depois da cegueira fica mais esperto ainda e diz que sabe que a mulher enxerga);
Ø  Alguns líderes muitas vezes não chegam a esse cargo por causa de sua capacidade de liderar ou por causa de suas habilidades, mas por causa do uso da força bruta. Percebe-se isso claramente no filme quando o “Rei da ala 3” usa sua arma para mandar. Num exemplo da vida real, numa abrangência maior, pode-se perceber esse tipo poder sobre o grupo numa situação como a ditadura militar sofrida pelo Brasil: usar a força e a violência para fazer valer a vontade arbitrária do chefe do grupo;
Ø  Os valores que você carrega em um grupo sob determinadas situações pode ser drasticamente diferente daqueles que você carregaria se estivesse sozinho ou em uma situação diferente; quebra de valores antigos, numa nova situação.  Situações diferentes demandam atitudes diferentes (supressão de valores). Passa até a agir por instinto. No grupo, para o indivíduo a noção de impossibilidade desaparece. Surge
um comportamento primitivo, irracional, fazendo coisas que o escandalizariam se estivesse sozinho;


Ø  Sacrificar a si ou um membro do grupo em favor de um bem coletivo. O filme aborda muito bem isso quando a minoria psicológica discute a emissão de mulheres para satisfazer aos desejos sexuais da maioria psicológica (o grupo que detém o poder sobre os outros). Valeria a pena sacrificar a honra de suas mulheres em troca de alimento? Ou de que adiantaria manter uma suposta honra e passar fome? Também aborda-se essa questão quando discute-se evitar uma guerra entregando a pessoa que matou o líder do grupo que era maioria até então.;
Ø  “O que você faria se ninguém pudesse ver?”. De fato a resposta para essa pergunta vai revelar de fato quem você é no mais íntimo do seu ser;
Ø  Quanto mais pessoas existem em um grupo, mais complexas tornam-se as relações, e também mais difícil torna-se controlar uma situação. Há uma certa perca de limites e quando acontece algo que pode culpar ou comprometer o grupo, geralmente há uma dissolução da culpabilidade, fazendo os membros sentirem-se menos responsáveis;
Ø  O papel que você desempenha em determinado grupo pode ser muito diferente daquele papel que você desempenha em sua vida cotidiana. A mulher que enxergava, por exemplo, estava desempenhando o papel de mãe ou invés do papel de esposa em relação a seu marido;
Ø  No grupo há uma suscetibilidade maior de ocorrer a solidariedade, justamente por possuírem algo em comum e conhecerem que o outro passa por aquilo que você também passa (os indivíduos podem se tornar mais empático);
Ø  As mudanças nas relações de poder em um grupo: antes você poderia não ser considerada ninguém; agora você é a única pessoa que enxerga. E agora, quem manda?

Concluindo percebemos no filme a luta dos membros de cada um dos grupos para garantir a sobrevivência. E tal objetivo só foi possível por estavam em grupo, pois se estivessem isolados, frente as condições apresentadas, não teriam a força que tiveram e dificilmente resistiriam.


No entanto, muitos demonstraram mudanças em seus comportamentos individuais aos estarem inseridos no grupo. Não só comportamentos “bons” se tornaram “maus” no isolamento, mas também personagens que antes de estarem isolados apresentavam atitudes socialmente negativas, como é o caso da esposa do japonês que parecia bastante submissa ao marido antes do isolamento e ao precisar tomar uma atitude de força para contribuir para salvar o grupo, o fez com grande determinação mesmo que isso significasse o enfrentamento do marido e de seus valores culturais.
Cabe lembrar que as reações apresentadas por estes indivíduos são independentes de estarem expostos a uma situação extrema, ou seja, por mais desconforto que o filme possa causar aqueles que o assistem, poderemos perceber a mesma forma de comportamento humano em qualquer grupo em que estejamos inseridos, desde que para o atingimento do objetivo do grupo se decida utilizar os mesmos meios escolhidos pelos líderes dos grupos dos líderes das alas e seus membros.

You Might Also Like

3 comentários

  1. Muito bom. Antes eu tinha outra visão sobre a história. Já li o livro, mas nunca cheguei a ver o filme. Mas, enfim, em piores condições a questão é mesmo a sobrevivência, não dá para salvar todo mundo, mas se for possível só vc e um grupo. Parece um cenário ao contrário dos dias de hj, não estamos todos cegos, as vezes dependemos de outro para sobreviver e acaba-se sendo individual, cegos de ver outars pessoas porque cuidamos primeiro de nosso próprio nariz.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da sua resenha, mas não é perca, é perda.

    ResponderExcluir

Flickr Images

Formulário de contato