Especiais

Peripécias Psicológicas: O estereótipo da perfeição

sexta-feira, abril 13, 2012Roberth Moura

Achei que já estava na hora de escrever uma postagem para os inúmeros fãs do blog a respeito do significado do nome que ele leva e os motivos que me levaram a escolher este e não outro nome, já que o blog está completando um ano de existência neste mês. Muitas pessoas que fazem parte dos meus círculos sociais me perguntam “o que é peripécias mesmo? Ia procurar no Google, mas acabei esquecendo” ou até mesmo “Estereótipo? O que é isso? Isso é de comer? Tem de uva?”. Ou seja, boa parte das pessoas não sabe o significado dessas palavras. Um dia eu também não sabia e as aprendi, por isso, pra economizar o precioso tempo de vocês estou escrevendo esta postagem.



Bom, pra começar, vamos às significações literais de cada uma das palavras, de acordo com o Aurélio. Copiarei apenas o item que corresponde aquilo que o blog propõe com sua nomenclatura:

Peripécia: Sucesso imprevisto; incidente; aventura
Psicológico: Relativo ou pertencente à psicologia
Por sua vez, Psicologia: A ciência dos fenômenos psíquicos e do comportamento.

Estereótipo: Modelo, padrão.
Perfeição: O máximo de excelência a que uma coisa pode chegar; primor.

            Logo, peripécias psicológicas quer dizer aventuras dos fenômenos psíquicos (ou dos comportamentos). E o estereótipo da perfeição significa o modelo da máxima excelência. Vamos agora à explicação.

Navegue nos devaneios...
Quando eu fui construir meu blog eu estava aberto à sugestões de amigos. A ideia que eu mais gostei foi devaneios delirantes, pois navega no mais íntimo do ser. Mas por infeliz sorte minha já existia um blog com este nome e apesar de parecer que está sem manutenção há algum tempo, resolvi não arriscar e também pensar em uma coisa mais original. Então surgiu a ideia de peripécias psicológicas, já que eu faço psicologia. Em momento algum a intenção do blog foi escrever assuntos estritamente psicológicos, voltados à ciência do comportamento. Nada disso. Pensei em fazê-lo para ser um espaço de debate de ideias. Ele serviria como uma espécie de dialética pra mim: colocaria minhas ideias e pensamentos, as pessoas de todo o Brasil (e do mundo também) exporiam suas múltiplas opiniões, certamente diferentes da minha, e a partir daí eu iria rever os meus conceitos. Confesso que isso tem acontecido bastante. Quando vemos algum fenômeno de outras perspectivas nossa visão torna-se muito mais ampla e podemos compreendê-lo melhor. Além do mais todos nós usamos psicologia o tempo todo no nosso dia a dia. Na Universidade, nós apenas sistematizamos esse conhecimento.
Bom, e quanto ao estereótipo da perfeição, não passa de um slogan pessoal. Isso não quer dizer que eu me acho ou que eu sou “O Cara”. Nada disso. A história dessa expressão é que antigamente, eu enchia meu Orkut de slogans engraçados como “Odacyr Robeth – O gostosão”, “Apaixonando você”, “O ápice do cume”, “Su Passione”, “O topo do top”, “O estereótipo da perfeição” dentre muitos outros. Meus amigos morriam de rir com as bobeiras que eu escrevia lá e este acabou pegando. E como se trata de um espaço não tanto formal não vi mal algum em colocar.
E tudo isso resultou nisso que vocês conhecem hoje. E o resultado me agrada muito. E às vésperas de completar um ano de idade, desde a primeira postagem A primeira vez a gente nunca esquece, lanço os fundamentos do blog, que, aliás, se mostra um dos mais promissores do país.

Jornalista Beatriz Cantarino e Odacyr Roberth Moura, criador do Peripécias Psicológicas (ou seja, eu)


Abraços a todos os leitores.
Odacyr Roberth Moura

You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images

Formulário de contato