Cultura Viagens

Peripécias em Ouro Preto

sexta-feira, novembro 25, 2011Roberth Moura



Estive em Ouro Preto com uma turma de Faculdade e anotarei a seguir algumas as percepções que eu tive do lugar.


O estereótipo da perfeição apresenta
Subjetivação de uma visita a Black Gold

  
            Vamos começar pela primeira impressão que eu tive da cidade: um caos urbano. Quando chegamos, não caímos direto no centro histórico; passamos primeiro pelo subúrbio da cidade. A rua principal (que era também a continuação da BR) não tinha mais que 6 metros, era mão e contra-mão, isso incluindo uma calçadinha de 50cm. Meu mundo caiu.
            Todavia quando cheguei na Praça Tiradentes encontrei o que eu procurava. Olha a vista que tive. Parecia um sonho:

Vista da Praça Tiradentes


Crepúsculo em Ouro Preto
 
Museu da Inconfidência - Ouro Preto


E a pousada tão aconchegante....


Pousada do Mondengo

Bem que eu queria estar nesta, mas minhas economias não permitiram...


Fachada da Pousada dos Bandeirantes

            Aí fui dar uma volta pelo centro. Mais uma vez minhas expectativas foram frustradas. Aqueles carros andando pra lá e pra cá tiraram grande parte do encanto da cidade. O contraste era muito grande: olha se olhava para os casarões antigos e se sentia um personagem de “Xica da Silva” ora se olhava para os carros e o ronco dos motores e levava um tapa na cara e voltava bruscamente ao mundo real. Eu demorei certo tempo, mas logo me acostumei com a idéia de carros pelas ladeiras. Contrastes paradoxais à parte, vamos falar do resto, a começar pelo clima.



                        Bom, eu não sei o resto do ano, mas nesta primavera, clima mais agradável seria impossível. À noite descia aquele friozinho gostoso para dormir, pra namorar ou pra beber um bom vinho, conforme for o caso. Durante o dia, o frescor continuava e a brisa das montanhas com aquele ar mais puro do mundo vinha tocar-nos a face. Era o ambiente perfeito para escrever poemas, vendo as casas históricas, o vento a flutuar, as verdes montanhas, às vezes tão perto, às vezes tão distantes... E o centro da cidade? Não tinha uma árvore sequer, mas elas não faziam falta por que o sol não queimava a pele, como acontece aqui em Governador Valadares, mais conhecida como estágio para o inferno, onde a temperatura mínima é 25º e a média 38º.
             A água de lá é um caso à parte. Pela cidade se encontram vários chafarizes com a água mais pura e agradável ao paladar que eu já experimentei na vida. Totalmente orgânica, sem cheiro, nem cor, muito menos sabor de cloro ou flúor. O verdadeiro néctar dos deuses.





            O povo é muito hospitaleiro. Nós, por exemplo, pedimos informação a uma senhora que passava (onde ficava tal igreja). Ela, por sua vez, nos deu a informação detalhadamente, contou-nos como tal igreja foi construída, em que contexto se deu, por que se deu e ainda outras histórias paralelas a esta. Mais dois minutos dessa gostosa prosa sairia com um diploma de mestrado em história...
            Bom, por hoje ficamos por aqui. Na próxima postagem falarei sobre as minhas peripécias turísticas no Museu da Inconfidência e nas dezenas de igreja de Ouro Preto. Por hoje é só e até!



Postagens relacionadas:

Provas de que o horóscopo é uma farsa! Você acredita em horóscopo? Pois veja aqui fatos que vão tirar você do engano em dois tempos!

Quando as torres gêmeas estavam pensado em ser construídas! Viaje no tempo e veja quando as torres gêmeas ainda estavam e no projeto, e depois sua construção e sue objetivo inicial!


You Might Also Like

7 comentários

  1. Bom post, eu sou daqui mesmo.

    Você conheceu pouco de Ouro Preto... as repúblicas, a vida dos nativos vc não conheceu?

    quem mora aqui nem vê igreja, pois o melhor que tem aqui são as cachoeiras, repúblicas, minas e artesanato.isso vc não viu

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo não é museu da independência e sim incofidência, heheh!!!! Más se gostou volte mais para melhor conhecer o dia dia e outras maravlhas que se esconde em seus arredores!!!

    ResponderExcluir
  3. Na verdade eu fiquei aí apenas três dias... não deu tempo de conhecer quase nada. Visitei as igrejas, o museu da inconfindência (corrigi lá já) e o artesanato em pedra sabão, especialmente. Comprei souvenir pra todos os meus amigos. Quase que deu tempo da gente ir na mina, só que tínhamos que apresentar trabalho na UFOP, então não fomos especialmente como turistas, mas aproveitamos nosso tempo para turistas. Mas voltarei sim para desvendar as belezas e encantos da cidade.

    ResponderExcluir
  4. Eu estive em Ouro Preto e me apaixonei, na verdade eu fiz um tour por Minas gerais e fiquei encantada. te recomendo conhecer Tiradentes, é uma cidadezinha muito charmosa.Passe tbem pelas grutas do Rei do Mato e maquiné, é de tirar o folego, enfim, visite as cidades mineiras, nãos vais te arrepender. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Certamente quando tiver tempo e dinheiro visitarei. Amo turistar ainda mais por belezas tão próximas a nós.

    Beijos Mari!

    ResponderExcluir
  6. Diego Trindade11 dezembro, 2011

    Tive a oportunidade de estar em Ouro Preto dia 07 de dezembro, e a cidade é fascinante! Fantástico!
    A princípio não achei muita coisa; mas agora que cheguei em casa, e estou vendo as fotos que tirei, a fixa caiu e ví o que eu perdi ao não aproveitar mais! Vale apena!

    ResponderExcluir
  7. Da próxima vez que voltar veja tudo, sentindo a história que cada cantinho tem pra contar. Realmente é muito gostoso...

    ResponderExcluir

Flickr Images

Formulário de contato