Cultura Opinião e Atualidades

A despedida de Harry Potter

quarta-feira, outubro 19, 2011Roberth Moura

Para os leitores se situarem, acabei de assistir Harry Potter e as relíquias da morte parte 1. Irei assistir o fim quando chegar o fim de semana.


 
   Você sentiu um vazio quando ficou sabendo que este era o último livro e consequentemente o (teoricamente) último filme da série Harry Potter? Pois é muita gente sentiu como se estivesse em um funeral. Mas não se preocupe, o capitalismo não vai deixar a série morrer assim tão facilmente!
____________________________________________________________

       Vou confessar que nunca fui fanático de jogar pedra, com Harry Potter, mas devo confessar também que é uma série espetacular. Como vocês já devem ter percebido em outras postagens como Fazendo Diferença, existe alguma coisa em mim que repele-me de modinhas. Quando criança, amava Harry Potter (nem se podia chamar de série, por que só tinha dois livros). É claro que já era um fenômeno na época, mas como eu morava em uma cidadezinha pequena, ninguém lá gostava de Harry Potter além de mim e eu penso que eles até hoje não sabem nem o que é isso. Bem, mas voltando ao assunto, após expandir meus círculos sociais e descobrir amigos que davam a vida por Harry Potter e que sabiam até as nuances do pum verde dele, aí eu abandonei. E depois que eu mudei de cidade então, descobri a multidão que o venerava. Aí mesmo que eu abandonei de vez a série, pois não suporto blábláblá sobre nada – e isso vai desde livro, passando por time de futebol até namoro. Muitas pessoas ficam muito chatas quando gostam muito de alguma coisa. E eu não sou obrigado a aturar a pessoa + a coisa que acaba se tornando chata também, mesmo sendo magnífica.

      Desde então, nunca mais li nem assisti a nenhum dos outros Harry’s. Até este ano, quando finalmente a saga chega ao fim. Aí eu pensei “bem, já que é o último mesmo e eu nunca mais vou ouvir os pré-adolescentes invocando os poderes do Harry, vou assistir”. E fui. Só que percebi, já no início do Relíquias da Morte parte I que eu estava completamente desatualizado. E então fui assistir toda a saga, desde “A Câmara Secreta” e relembrar um pouco a minha pré-adolescência. Vou confessar que apesar de bem infantil e com os efeitos bem bobinhos em relação aos de agora, até que a experiência foi bem agradável.




É bem verdade que eu demorei mais de dois meses pra assistir tudo, e que quase entrei em depressão quando mudaram a dubladora da Minerva (é, eu assisto dublado – se quer saber por que, leia Dublado ou legendado?), e também que os meus personagens mais queridos morreram. É isso mesmo. O Dumbledore era o meu personagem predileto (gostava dele mais do que do Harry, acredite se quiser) e se deixou morrer de uma maneira tão fútil, sendo ele O MAIOR BRUXO de todos os tempos. Nem grandes efeitos sua morte teve. Pensei que ele voltaria no final do filme, que aquilo não passava de teatro, mas não. Ele não voltou e até agora eu não me conformo. E isso só revela o egocentrismo da autora que reflete Harry e mata a única pessoa além de Harry que poderia destruir Voldemort. Assim toda a glória volta-se a Harry. E também mata Dobby, sem necessidade alguma. E enquanto isso ninguém do mal morre. Que mensagem ela queria passar com isso? Não sou eu quem vou dizer.


Bom, momentos neuróticos da autora à parte, vamos falar das inúmeras coisas boas da série. É visível que os últimos três filmes tem um visual muito mais high Tecnology, especialmente na fotografia e nos efeitos especiais e isso deu um “tchan” a mais para a história que já era incrível. O “Relíquias da Morte parte I” já deixa no ar um sentimento de nostalgia e quando o Doby fala da amizade, na casa dos Malfoy, eu me emociono. Tudo converge para o fim: o mal tem tudo o que precisa, o bem está muito abalado emocionalmente e tudo já está preparado pra o Gran Final. E é claro que todos nós já sabemos o final, pois é pra isso que existe o livro e o filme. Mas insistimos em saber como será cada detalhes, pois a infeliz curiosidade aguça nossa mente a completar o que lhe falta. E que semana que vem será desvendado juro que não lerei sinopses na internet.




    Agora é esperar uns 10 anos (ou menos se bestar) pra ver se os Estados Unidos compra os direitos autorais e transforma a saga em uma tele série semanal, com 50 episódios por ano e não a estende por 7 anos. Eu prometo que assisto, a todos os episódios, mas com uma condição: não matarem o Dumbledore, é claro.

Links Interessantes:

Relembrando "A hora do pesadelo": Relembre toda a série "a hora do pesadelo", suas atuações, trilha sonora, a época vivida desde o primeiro até o último da série! Perceba como a a nossa visão muda quando vemos um filme crianças e anos depois o assistimos novamente.

Os melhores filmes de todos os tempos: Confira uma lista com os maiores nomes do cinema! Possui um indicado para cada categoria! Vale a pena conferir!

Top 10: os melhores livros de todos os tempos! Lista com os melhores livros já lidos por Odacyr Roberth!

You Might Also Like

9 comentários

  1. Ele não morreu de forma fútil!!! Ele foi amaldiçoado depois de pegar uma das horcruxes!!! Como ele ia morrer em pouco tempo, se deixou matar para que o Snape continuasse como espião. Se isso é morrer em vão...

    ResponderExcluir
  2. Ah, Mariana, mesmo assim... ele poderia não ter morrido. Mesmo que por uma causa maior, ela não poderia ter matado o melhor personagem da série. Poderia ter inventado um feitiço sei lá das quantas para libertá-lo da maldição terrível. Espera aí... O Snape é espião? Não conta o final do filme por que eu ainda não assisti...

    ResponderExcluir
  3. Mariana e Odacyr leiam o livro antes de postar certas coisas... Dumbledore morre para que o Draco não o mate... como vc não quer spoilers , entenderá após assistir o final da série ou ler o livro como te disse... ;)

    ResponderExcluir
  4. Dhuuuu.... Dhuuuu... o mínimo de consciência holístico e você entende que Dumbledore faz o serviço de Jesus. Sabia de tudo que ia acontecer e teria que morrer para que as coisas acontececem da forma como deveriam acontecer... acorda, meo...

    ResponderExcluir
  5. Amei seu texto! Quand você assistir o último você va compreender tudo. Mas é melhor ler o livro, a viagem é muito maior... A propósito, você escreve muito bem, apesar de não concordar cm algumas coisinhas que você diz sobre filmes dublados... mas opinião é opinião. Agora, quanto a Harry, eu não acredito que ele vá se americanizar tão cedo... tem que haver um certo tempo pra dar saudade na gente... Apesar de que eu já estou com saudades! Mas é isso aí. Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Assistirei o filme o mais breve possível, assim que eu tiver tempo. Talvez eu entenda o enorme sacrifício de Dumbledore, e acorde para a vida.

    Obrigado Jasmine e Ramon!Aproveitem aa visitar e conhecer outros conteúdos do blog!

    ResponderExcluir
  7. Dumbledore, ao destruir a Horcrux, recebe uma maldição irreversível, mas Snape consegue apenas retardar essa maldição. Então ele aproveitou esse tempo para "treinar" Harry para o seu futuro. Sabendo que Voldemort deixou uma missão quase impossível para o Draco (ele fez isso como castigo para a família Malfoy), que era matar Dumbledore, ele pediu para que Snape o matasse, para não corromper a alma do menino.
    É melhor ler os livros, o filme muitas vezes deixa coisas de lado e fica meio difícil de entender.
    E lembre-se: Dumbledore era apenas um ser humano, ele cometeu muitos erros durante sua vida.

    ResponderExcluir
  8. Mas isso não vai tirar a minha preferência pelo Dumbledore. Mesmo sendo um grande sacrifício ele não deveria ter morrido, apesar de seus vários erros.

    ResponderExcluir

Flickr Images

Formulário de contato