Filosofias e Reflexões Opinião e Atualidades

Maktub: Predestinação ou livre-arbítrio?

segunda-feira, setembro 05, 2011Roberth Moura



As pessoas fazem as coisas automaticamente, como máquinas, ou escolhem suas ações? Deus sabe de tudo que vai acontecer. Então estamos predestinados a agir de acordo com aquilo que ele sabe que vai acontecer?

Muitas pessoas acreditam que somos predestinados, que estamos aqui por alguma razão e que vamos seqüencialmente executar tudo o que já está escrito, como se fossemos personagens de um livro. Outros tantos acreditam que somos livres, que Deus nos deu a liberdade e fazemos dela o que quisermos. Uma minoria não sabe nem por que está aqui ou prefere não perder seu tempo pensando nisso.
Para os que já quebraram a cabeça pensando se somos livres ou predestinados já perceberam que tanto um quanto o outro ora apresenta-se como verdade absoluta, ora apresenta-se muito inconsistente, variando do dia ou da ocasião.

Bom, eis o que eu penso: Deus sabe de tudo, e isso é patente. Logo nossa história já está escrita, mas isso não quer dizer que seja predestinação. Quer dizer que Deus nos conhece tão bem que sabe o que vamos fazer quando recebemos determinado estímulo. Ele nos conhece tão bem que sabe quais escolhas faremos. Ele é onisciente e nos conhece melhor que a nós mesmos.
Temos o livre arbítrio. Na verdade, somos obrigados a ser livre, e se escolhemos nos prender às regras sociais foi por nossa livre e espontânea escolha. Para tanto você pode escolher viajar ou não, escolher que roupa irá vestir no casamento de sábado, escolher qual a cor do carro que você irá comprar: a escolha é sua. Mas Deus já sabia (e sabe das suas futuras escolhas) e não adianta tentar fugir disso. Ele te criou, por isso o conhece nos mínimos detalhes. O interessante é que Deus já sabe da nossa história, mas nós não, por isso nem adianta cruzar os braços e pensar: “já está tudo escrito, e o que tiver de ser será”. A vontade é nossa, nossa história somos nós que a escrevemos, Deus a conhece antes de nós, do começo ao fim, nos mínimos detalhes. Mas a direção e escolhas da sua vida estão em suas mãos.



E você, acredita ser predestinado ou livre para tomar suas próprias escolhas?

You Might Also Like

11 comentários

  1. Muito bem colocado seu texto. Eu também acredito que você é que faz o seu futuro. Deus é claro, já sabe de tudo: sabe quando vamos cair, quando vamos xingar, quando vamos ganhar na loteria, quando vamos casar, etc. Mas o interessante é que nós não sabemos, por isso estamos sempre diante da incerteza: não sabemos ao certo o que vai acontecer amanhã, apenas temos uma instável estabilidade. Respondendo à pergunta eu acredito em livre-arbítrio, mas não deixa de ser uma maneira indireta de predestinação.

    ResponderExcluir
  2. Linda de Jesus13 setembro, 2011

    Jesus por todos morreu e quer que todos sejam salvos. o sange que Jesus verteu foi para remição dos pecados de toda a humanidade. Deus nos deu o livre arbítreo e não é a sua vontade que nenhum homem pereça, mas que todos nos arrependamos e sejamos salvos. ninguém nasceu para ir para o inferno, mas são as nossas deçisões que nos podem levar para lá. Deus põe diante de nós a vida e a morte e nos diz escolha porém a vida para que vivas, nos aconcelha, mas a deçisão é nossa, não somos máquinas, até porque por sermos a semelhança Dele temos as características Dele, e uma delas é o poder de deçisão. Deus não escolhe pessoas para salvar, mas escolhe pessoas para usar em seu ministério: pastores, apostolos, profetas... para usar ele escolhe, mas para salvar não. todos temos a oportunidade de sermos salvos!

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de levantar uma questão sobre o futuro que tem provocado muitas divergências.

    Tentarei tratar o assunto com neutralidade, sem entrar no mérito ético de nenhuma religião específica. Penso ser mais justo fazer minhas reflexões como um ser humano, não como um seguidor de algo, alienado.

    Bases:

    Predestinação: a predestinação tem, na maioria das vezes, um embasamento no fato de haver um Deus soberano que sabe o futuro, logo, sabe o que acontecerá.
    Livre-arbítrio: defendido principalmente pelos ateus, de forma clássica por Sartre, defende a idéia de que o homem controla o seu futuro, faz suas escolhas, é livre.

    Minha tese:

    Em tudo que faço ou que estudo, gosto de manter sempre o equilíbrio, por considerar que extremismos são inconsequentes e tolos. Ressalto que apesar de possuir minhas opiniões, respeito que diverge dos meus pensamentos, afinal, se fossemos todos iguais o mundo seria um enorme tédio.
    Confesso que sou tentado pela tese da predestinação mas não discarto o livre-arbítrio, porque não gosto da idéia de transferir minhas responsabilidades a outros. Por que prefiro a predestinação? Inicialmente aceito a idéia da existência de Deus, porém não o vejo como os outros. Tenho uma idéia bem particular sobre a existência de Deus, mas isso fica pra outra hora.
    Independente de Deus existir ou não, há de se concordar que há um futuro, mesmo que abstrato. A partir do momento que há um futuro, há uma sequencia de fatos que certamente ocorreram, senão, não existiria futuro, mas sim um enorme vazio numa parte de nossas vidas. Levanto um questionamento: por que o tempo deve ser tão blocado como o concebemos atualmente? Por que podemos ter acesso ao nosso passado e não ao nosso futuro? Entendem o quero dizer?
    Não vejo dificuldade em haver um futuro predeterminado. O que faz toda a diferença do meu pensamento ao de outros é: considero possível consilliar a predestinação ao livre-arbítrio.
    Por conta de minha limitação humana (da qual me libertarei um dia), não possuo acesso ao futuro. A partir do momento que não possuo acesso, não o conheço, se não o conheço, posso concebe-lo. É aí que entra o meu livre arbítrio: sou responsável por minhas escolhas. Se não sei o que acontecerá, cabe somente a mim modar o meu futuro. Se ficar parado esperando que caia tudo do céu, e não cair nada, a responsabilidade será somente minha, não poderei culpar Deus por não ter me ajudado, sendo eu um indivíduo, sendo eu, eu mesmo, e Deus, Ele próprio, como posso esperar que ele aja por mim?
    O máximo que Ele pode fazer (de acordo com minhas idéias) é me ajudar, mas nunca agir em meu lugar.

    Muito obrigado. Comentem se discordam ou concordam. O mais importante não é se eu ou você estamos certos, mas sim que podemos crescer rumo à verdade.

    ResponderExcluir
  4. Jorge, Acho que é isso, sua tese, no meu entender, é o que a maioria das pessoas fazem e entendem, com exceção dos ateus e dos religiosos fervorosos.

    Mais ou menos uma mescla de predestinação com livre arbítrio, e acho que é exatamente isso que devemos fazer. Você colocou muito bem:

    não possuo acesso ao futuro. A partir do momento que não possuo acesso, não o conheço, se não o conheço, posso concebe-lo. É aí que entra o meu livre arbítrio: sou responsável por minhas escolhas. Se não sei o que acontecerá, cabe somente a mim modar o meu futuro.

    Estamos no meio de um universo com bilhões, talvez trilhões de espécies, micro-organismos, insetos, fungos, corais, vegetais, animais e somente UMA espécie tem raciocínio, os humanos.

    Somos de alguma maneira privilegiados, sem dúvida, só quem tem raciocínio pode ter consciência e o livre arbítrio requer consciência.

    É só usa-la, a predestinação do homem é usar sua consciência, é isso.

    Se os homens sabem disso e na hora de agir colocam suas consciências de lado, o resultado é péssimo, como são péssimas as perspectivas do planeta. É o que está acontecendo, as pessoas acreditam em Deus, mas na hora de decidir optam pelas suas vaidades e ganância e acreditam que estão deixando tudo a cargo da predestinação, deixando a consciência de lado. Pensam assim: Se estou tendo essa oportunidade é porque devo aproveita-la, é porque está predestinado. E não usam as suas consciências para julgar se aquilo ou àquela oportunidade não é injusto, ou desonesto, ou desumano. Agem de acordo com a conveniência, se for conveniente usar a consciência usam e se for conveniente deixar para a predestinação, deixam e não usam suas consciências. E para os ateus é ainda mais fácil incidir nesse erro, pois só têm atenção para as leis do homem.

    Temos que agir com consciência. Consciência é Deus, consciência é justiça, consciência é paz, consciência é vida.

    Tanto a predestinação como o livre arbítrio, requerem consciência para serem plenos.

    ResponderExcluir
  5. Acredito no livre-árbitrio. Baseo-me em questões religiosas e sociológicas.
    Segundo o cristianismo Deus criou o homem e lhe deu condições de escolher seu destino (o caso de Adão e Eva e a fruta do bem e do mal). A cada dia damos de "cara" com o Bem e com o Mal. Devemos escolher nossos passos, sabendo que cada caminho nos leva a um lugar diferente. Não podemos dizer que a culpa é de Deus se um jovem se envolver com drogas. Podemos questionar o sequinte: Mais foi a sociedade a culpada. Acredito que os atores externos influênciam em nossas decisões, mas são os fatores internos que determinam. Nós fazemos a escolha.
    Um criaçã que cresce no meio da criminalidade não será necessariamente um criminoso. Dependerá de sua escolha. O que acontece é que por muitas vezes escolhemos o mais fácil.
    A influência da sociedade acaba nos levando a decisões mais cômodas.

    ResponderExcluir
  6. 1 - Vocês tem mania de dizer ou pensar que os religiosos são alienados. Não vou dizer que não há alienação no nosso meio por que há. Mas não coloquem todo mundo no mesmo saco!

    2 - Concordo plenamente com o Jorge. Sintetizou muito bem tudo o que eu queria dizer.

    3 - Agir conscientemente é o exercício mais nobre da sua liberdade. Não culpar os outros pelas suas decisões (apesar da forte influência dos mesmos nela), deve ser a base do livre-arbítrio.

    4 - E este mesmo livre-arbítrio é um dos motivos para muitas pessoas não crerem em Deus, dizendo que ele é mal e odioso por que permite as guerras, as mortes e etc. Se ele não permitisse estaria tolhendo o livre-arbítrio da pessoa. Logo seríamos máquinas.

    5 - E concordo também com a Carlota. O fato de um jovem nascer em meio à bandidagem não quer dizer necessariamente que ele vá ser um bandido. O indivíduo é fruto não apenas do meio, mas das suas relações subjetivas com o meio: tudo dependerá de como ele internaliza suas vivências e interage com o meio.

    ResponderExcluir
  7. bem o destino depende das escolhas que o ser humano venha faser ao longo de sua vida, o livre arbitrio ele e usado para voce faser as escolhas que devem ser com coerencia e raciocinio logico doque e porque. apartir do momento que voce fez a escolha deve cumprilas afinal foi voce quem fez a escolha ou cometer erros gravicimos de qualquer ordem e depois alegar que tem o seu livre arbitrio porque tudo o que fizer tera que responder por isto afinal voce e o dono da sua vida.

    ResponderExcluir
  8. Muito bem dito Donluca. A escolha é motivada por suas consequências, por isto deve ser tomada com responsabilidade. E você também deve arcar com as consequências da sua escolha, pois você é o maior responsável por elas.

    ResponderExcluir
  9. Deuslênio10 março, 2012

    Interessante o seu ponto de vista.
    Eu nunca tinha parado para pensar dessa forma.

    ResponderExcluir
  10. E a que conclusão chegou, Deuslênio?

    ResponderExcluir
  11. Vixi gente to totalmente perdida ba converssa...

    ResponderExcluir

Flickr Images

Formulário de contato