Opinião e Atualidades Ótica Psicológica

Preconceito X Discriminação

quinta-feira, abril 28, 2011Roberth Moura




       Em muitas rodas de conversa com amigos, navegando pela web e em alguns artigos que leio, pude notar que muitas pessoas confundem preconceito com discriminação. Isso acontece devido ao preconceito vir muitas vezes carregado de discriminação, pois através dele a pessoa vai moldar seu comportamento diante de tal pessoa, ambiente ou situação. Como eu vou usar muitas vezes essas palavras no meu blog, resolvi postar o significado de cada uma das palavras e dar um exemplo para que haja uma compreensão melhor dos assuntos tratados doravante. Irei começar com preconceito, pois é ele quem precede a discriminação
Formação do preconceito a partir do visual
      
       PRECONCEITO de acordo com o dicionário Aurélio deriva de “pré” + “conceito” e significa “Conceito ou opinião formados antecipadamente, sem maior ponderação ou conhecimento dos fatos; ideia preconcebida.”. Preconcebida, por sua vez, quer dizer “concebido ou planejado sem maior reflexão”. Já DISCRIMINAÇÃO refere-se ao ato ou efeito de discriminar – diferençar, distinguir, separar, apartar. Daí podemos tirar nossas conclusões.

       Uma garota que vê um rapaz pela primeira vez em uma balada, por exemplo, irá chegar nele para paquerá-lo, pois acha ele bonitinho e tudo mais. Conversa vai, conversa vem e ela vai formando um conceito sobre ele (veja bem, ainda está em fase inicial de formação). Ela o acha muito legal, e conversando o pergunta: “onde é que você mora?” e ele responde: “no morro do Alemão”. Seu coração começa a acelerar, ela fica até branca. Todos os pré-conceitos que ela tinha sobre os moradores do morro do alemão poderão sobrepujar aquele instável conceito que ela estava criando sobre ele. Logo ela pode pensar “esse cara deve ser bandido também.”

       Aí está o preconceito, pois julga todos os habitantes da favela baseando-se na ação de alguns. Mas ela continua a pensar “É melhor não me envolver. Vou dar um jeito de sair dessa sem levar um tiro – Meu Deus me tira daqui”, e desconversa todo o tempo com o rapaz até ir embora (sem ofendê-lo, pois morre de medo dele apontar uma arma na cara dela), deixando-o sozinho, apesar de ele ser um rapaz direito e honesto mais do que muitos amigos senadores de sal pai. Isso é discriminação – pode estar em uma palavra, um gesto e muitas vezes em um olhar.

       Como ela, uma moça do Leblon iria ficar com um rapaz favelado? E se ela morresse? Se ele envolvesse-a no tráfico? Ela pensava que favela era sinônimo de drogas, violência e pobreza. Durante toda sua vida seus pais falaram isso, ela viu na TV, a sociedade a fez pensar assim.

       Todos nós criamos preconceitos em relação as pessoas, às vezes discriminamos, enxotamos um menino de rua pensando que ele quer roubar, evitamos conversar com pessoas mal vestidas com medo de ser bandido, nos aproximamos de pessoas bem arrumadas pensando que são ricas dentre muitas outras ações. Todos os dias usamos esses artifícios de preconceito e discriminação, como se fosse a coisa mais natural do mundo mas ainda assim é necessário quebrar esses preconceitos para construir uma sociedade mais igualitária, que respeite as diferenças e que aprenda não a conhecer para depois julgar, mas aprenda a nunca julgar pois aquele que você mais julga e discrimina agora pode ser aquele que mais possa te ajudar um no futuro.


       Aí vai um vídeo demonstrativo do que é criar conceitos a partir da primeira impressão e logo após descobrir que todos os seus preconceitos foram ridículos.

You Might Also Like

5 comentários

  1. Ana Laura Marinho02 maio, 2011

    Bacana a maneira com que as ideias foram elaboradas, gostei muito do texto.
    Para enriquecimento, indico a leitura deste ensaio, que expressa de forma clara a diferença básica entre preconceito e discriminação através de uma perspectiva racial. Vale a pena ler!

    http://www.digestivocultural.com/colunistas/imprimir.asp?codigo=3300

    Abraços, Ana Laura.

    ResponderExcluir
  2. Vou ler sim, obrigado pela sugestão. Até o final do mês eu lanço um post falando sobre a discriminação racial. Valeu!

    ResponderExcluir
  3. Preconceito é humano, é auto preservação, é instinto. Mas descriminacao é desumano, não querer se envolver socialmente com alguem pq tem piercings ou mora na favela é uma opção particular, mas o respeito ao proximo deve existir sempre.
    Eu por exemplo nao gosto de gente feia(feia tipo mto feia e mal tratada), apesar de me encantar pela intelectualidade, nao gosto de ser vista com feios, pq sou dândi mesmo, mas nem por isso eu trato os feios sem gentileza.

    ResponderExcluir
  4. Preconceito todo mundo utiliza-se dele, mas discriminar já ultrapassa todos os limites da rudez humana.

    ResponderExcluir
  5. Ainda tem o caso da Susan Boyle, que foi pior que o desse cara. http://www.youtube.com/watch?v=wnmbJzH93NU&feature=fvwrel

    ResponderExcluir

Flickr Images

Formulário de contato